Encontro em Belo Horizonte celebra os 70 anos de criação do estado de Israel

Encontro em Belo Horizonte celebra os 70 anos de criação do estado de Israel

Abertura do evento na noite desta quarta-feira (8), no auditório da Igreja Batista da Lagoinha, deverá ter a presença do candidato à Presidência e deputado federal Jair Bolsonaro


postado em 07/08/2018 18:28 / atualizado em 07/08/2018 18:35

Cristãos e judeus unidos para comemorar os 70 anos de criação do estado de Israel. Com expectativa de público em torno de 5 mil pessoas, o auditório da Igreja Batista da Lagoinha, no Bairro São Cristóvão, na Região Nordeste de Belo Horizonte, será palco da noite desta quarta-feira (8) e durante toda a quinta-feira (9) de uma celebração para homenagear o país do Oriente Médio e também a figura do diplomata brasileiro Oswaldo Aranha (1894-1960). A abertura será às 19h30 e deverá contar com a presença do candidato à presidência do Brasil, deputado federal Jair Bolsonaro. O filho do candidato, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, já garantiu presença durante os três dias do evento promovido pela Comunidade Internacional Brasil & Israel (CIBI).

“O objetivo é destacar os 70 anos e também a figura de Osvaldo Aranha, um grande diplomata brasileiro. Sem ele, seria impossível a criação do estado de Israel. Foi um grande estrategista, um gigante da diplomacia, e, por isso, queremos que todos os brasileiros revereciem a sua memória”, afirma a pastora Jane Silva, presidente da Cibi, idealizadora do evento e que divide seu tempo de trabalho entre Belo Horizonte e Jerusalém. Ela lembra que católicos e evangélicos participarão do encontro.

Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu criar o Estado de Israel, dividindo em dois o território da Palestina, que estava sob mando britânico na época. Então presidente da Assembleia Geral da ONU, Aranha foi quem anunciou a aprovação da Resolução 181, que decretava a formalização de Israel. “Vamos reunir pessoas de vários países e a história de Osvaldo Aranha será enaltecida”, afirma Jane. Ela adianta que, na cerimônia de abertura, serão carregadas as bandeiras do Brasil, de Minas e de Belo Horizonte.

Continua depois da publicidade

Os dois dias de celebração terão a participação de acadêmicos israelenses, um deputado do Knesset, além de líderes políticos e religiosos de diversas nações. A presidente da CIBI destaca que os participantes “terão a oportunidade de ouvir importantes esclarecimentos sobre o papel de Israel no cenário político atual” e assistir a apresentações culturais, como dança, música e culinária judaica.

Presenças

As palestras vão abordar diferentes temas, incluindo um panorama histórico sobre os 3 mil anos de Jerusalém. Também serão enfocadas as possibilidades de integração entre Brasil e Israel, assim como a maneira como a mídia retrata os conflitos na região, a cargo da jornalista Joice Hasselmann. Dentre outras presenças internacionais, destaque para a norte-americana Michele Bachman, que foi pré-candidata à presidência dos Estados Unidos em 2012.

Segundo Jane, o trabalho da CIBI inclui uma aproximação de cristãos e judeus, a luta contra o antissemitismo e a valorização das relações bilaterais entre os dois países. Entre os especialistas, merecem destaque: Chaim Silberstein, médico de combate do exército de Israel e presidente da Mantendo Jerusalém Unida; Mario Bramnick, que nasceu em Cuba, emigrou cedo com a família para os Estados Unidos e lidera a Coalizão de Latinos por Israel, ONG que trabalha para combater a ascensão global do antissemitismo. Bramnick integra o grupo de pastores que realiza reuniões mensais com o presidente Donald Trump e sua equipe na Casa Branca.

Michele Bachman, que foi deputada federal do Partido Republicano pelo Estado de Minessota (EUA) até 2015, tendo sido pré-candidata a presidente nas eleições de 2012; e Robert Ilatov, membro do Knesset, Parlamento de Israel, preside o Comitê dos Aliados Cristãos e criou a Reunião de Oração por Jerusalém, que reuniu em junho 650 participantes de 68 países para intercederem pela paz em Jerusalém.